IBGE: produção industrial cai em 10 regiões do País.

  A produção industrial registrou queda em 10 dos 14 locais que integram a Pesquisa Industrial Mensal - Produção Física, na passagem de julho para agosto, informou hoje o Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE). Goiás (-6,6%) e Espírito Santo (-6,4%) apontaram os recuos mais acentuados, com o primeiro Estado devolvendo parte da expansão de 19,1% acumulada nos últimos três meses de crescimento e o segundo somando perda de 11,6% nos últimos quatro meses de recuo. Os demais locais que registraram redução na produção acima da média nacional, que ficou em -0,2%, foram Amazonas (-4 5%), Pernambuco (-3,0%), Bahia (-1,9%), Rio Grande do Sul (-1 5%), Pará (-1,2%), Minas Gerais (-1,1%) e região Nordeste (-0 9%). São Paulo, que tem o parque industrial mais diversificado do País e de maior peso na estrutura da indústria, apontou um recuo de 0,1%. Por outro lado, houve aumento na produção do Paraná (7 0%), do Rio de Janeiro (4,3%), de Santa Catarina (1,9%) e do Ceará (1,5%). Na comparação com agosto do ano passado, os resultados foram positivos em 8 dos 14 locais pesquisados, mas houve influência do efeito calendário, já que agosto de 2011 teve um dia útil a mais que agosto de 2010. As expansões mais intensas que a média nacional, de 1,8% nesse tipo de comparação, foram observadas no Paraná (24,0%), impulsionado em grande parte pelos avanços assinalados nos setores de edição e impressão, veículos automotores e refino de petróleo e produção de álcool, no Amazonas (8,1%), no Pará (4,5%), em Pernambuco (4,5%), em Goiás (4,1%) e no Rio Grande do Sul (3,6%). Rio de Janeiro (1,8%) e São Paulo (1,5%) também registraram taxas positivas.   Os resultados negativos em agosto, em relação ao mesmo mês do ano passado, foram registrados em Minas Gerais (-0,5%), Espírito Santo (-1,4%), Bahia (-1,5%), Santa Catarina (-1,6%), região Nordeste (-3,7%) e Ceará (-13,8%). Fonte: Site; Jornal Gazeta do Povo, (06/10/2011).