Carambeí consegue autonomia com ICMS.

Carambeí, nos Campos Gerais, é uma exceção entre os municípios novatos. A cidade de 19.163 habitantes possui o 4.º maior Produto Interno Bruto (PIB) per capita do estado e não conta exclusivamente com o FPM para sustentar os cofres públicos. O município tem um orçamento de R$ 42 milhões anuais. A principal receita provém do Imposto de Circulação de Mercadorias e Serviços (ICMS), que gera R$ 33 milhões ao ano. Com isso, os R$ 8 milhões de FPM se tornam um benefício secundário. Além da boa localização geográfica para a instalação de indústrias, a cidade conta com um forte polo agroindustrial. Entretanto, o chefe de gabinete da prefeitura, Mauricio Bernardo, afirma que muita coisa ainda deve ser aprimorada na cidade, a qual necessita de novas moradias, de um hospital e de uma sede própria para a prefeitura. Avelina de Oliveira, 70 anos, que vive há quase três décadas em Carambeí, participou do plebiscito que desmembrou a cidade de Castro. “Aqui era só mato. Não tinha rua pavimentada e nem posto de saúde. Agora está melhor”, diz. “Mas ainda há uma desigualdade social muito grande.” Apesar do alto índice de arrecadação da cidade, a renda média por domicílio fica na casa dos R$ 703 – abaixo da média paranaense, de R$ 876,70. Fonte; Site; Jornal Gazeta do Povo, (13/10/2011).