UGT entrega sugestões ao prefeito Gustavo Fruet.

O 1º Encontro das UGTs da Região Sul do Brasil realizado em Curitiba, dia 4 de junho, teve a participação de personalidades de peso no cenário sindical e político. Mais de 150 dirigentes sindicais dos três estados do sul estiveram na capital paranaense. Durante o encontro o prefeito de Curitiba, Gustavo Fruet recebeu uma carta da UGT-PARANÁ, com diversas sugestões para uma maior participação dos trabalhadores em sua gestão, incluindo os conselhos municipais e a criação de um fundo municipal de qualificação e educação profissional. O prefeito Gustavo Fruet (PDT), que fez questão de estar no encontro, ressaltou a parceria que pretende desenvolver com o movimento sindical em sua gestão. "Nosso primeiro ato foi valorizar os servidores públicos, instituindo um piso salarial mínimo de R$ 1.100,00". Ainda em sua fala, Fruet foi claro em relação ao processo eleitoral de 2014. "Começamos uma parceria com o PT, através da ministra Gleisi Hoffmann que será duradoura e com grandes conquistas para todos os trabalhadores e trabalhadoras do Paraná. Nosso estado precisa desenvolver políticas públicas que valorizem toda a população paranaense", disse Fruet sob aplausos.

O presidente nacional da UGT, Ricardo Patah - que é filiado ao PSD-, lembrou que a central foi a primeira a manifestar apoio ao então pré-candidato, numa plenária realizada em maio de 2011, em Foz do Iguaçu (PR). "Temos a certeza de que todo o trabalho e a experiência que o Fruet acumulou ao longo de sua carreira política se traduzirá em muitos benefícios para a classe trabalhadora", ressaltou Patah.

Durante o evento, que reuniu mais de 150 dirigentes sindicais, o presidente da UGT-PARANÁ, Paulo Rossi e o secretário de Formação Sindical da UGT, Alvacir Miguel Balthazar entregaram ao prefeito uma carta contendo sugestões para a administração municipal, dentre as quais solicita a destinação de 1% do orçamento municipal para um fundo de qualificação e educação profissional; a criação do Conselho Municipal de Desenvolvimento Econômico e Social e a instituição do Plano Municipal de Saúde e Segurança no Trabalho. O secretário de Formação justificou a necessidade da destinação de recursos para a qualificação profissional devido a grande demanda por mão-de-obra qualificada em Curitiba e Região Metropolitana. "De nada vai adiantar atrair empresas que exigem tecnologias para Curitiba se não tivermos profissionais qualificados para essas vagas", disse Balthazar.

Durante o encontro das UGTs, foram apresentados os dados divulgados em abril pelo Ministério do Trabalho e Emprego, mostrando a UGT como a  terceira maior central sindical no Brasil e a maior no Paraná.