Movimento defende plebiscito para renovação de contratos de pedágio no PR

A Frente Parlamentar Contra a Prorrogação dos Contratos de Pedágio, lançada na manhã desta segunda-feira (16) na Assembleia Legislativa do Paraná, definiu oito prioridades para evitar a renovação dos contratos, que vencem em 2021.

O grupo, formado por 28 deputados, defende a realização de uma nova licitação montada com base em tabelas do DNIT (Departamento Nacional de Infraestrutura de Transporte) e do DER (Departamento de Estradas de Rodagem do PR).

No topo da lista está a votação, em regime de urgência, do projeto que delega à Assembleia Legislativa poder de decisão sobre novos aditivos nos atuais contratos e também sobre futuras concessões de rodovias. A proposta já tem parecer favorável de todas as comissões legislativas.

O segundo item da pauta defende a urgência na formação da comissão especial que vai analisar a PEC que prevê a realização de um plebiscito antes de renovar ou promover nova licitação de pedágio. “Temos que garantir a participação da população neste debate. Sou de Cascavel e para vir à Curitiba ou ir a Paranaguá, são oito praças com valores muito elevados”, defendeu o deputado Paranhos (PSC), autor da proposta.

Os deputados também cobram a realização das obras previstas no contrato original até o fim da concessão, em 2021, além do controle do fluxo de veículos que passam pelas praças de pedágio.

A nova Frente Parlamentar já definiu um cronograma de encontros com lideranças locais que serão realizados no interior do estado. A primeira acontecerá em Ponta Grossa, no dia 23 de maio. Em seguida, acontecerão reuniões em Foz de Iguaçu e Cascavel, no dia 17 de junho; Umuarama, em 24 de junho; e Londrina e Maringá, no dia 8 de julho.