Especialistas dão dicas para tirar as contas do vermelho em 2017

Organização é a palavra-chave. O primeiro passo que a pessoa endividada tem que dar para sair do vermelho é fazer um levantamento das dívidas, segundo o economista Luiz Bacellar.

"Primeiro é preciso entender o valor real da dívida e entender o quanto a pessoa está devendo. Muitas pessoas estão devendo, mas deixam a dívida para lá e quando vão verificar já se tornou uma bola de neve e uma dívida grande", disse o economista.

O planejamento é o segundo passo para sair do vermelho. Com base do levantamento das receitas e despesas mensais as ações para pagar dívidas poderão ser traçadas.

"Para se organizar financeiramente eu tenho que entender quais são as necessidades básicas e fazer o orçamento doméstico com todos os gastos. Colocar, por exemplo, os gastos de energia, escola e transporte em uma planilha, no papel ou qualquer ferramenta que a pessoa possa usar para se organizar. Temos que encarar a nossa vida financeira como uma empresa, que tem metas, objetivos, receitas e despesas", destacou Luiz Bacellar.

Renegociação
Após o diagnóstico das dívidas, o endividado deve buscar renegociar os débitos com os credores. A troca de uma dívida por outra é uma alternativa positiva se a taxa de juros a substituição for baseada em taxas de juros menores.

Cuidado com cartão e cheque especial
O endividado terá que atenção redobrada com dívidas de cartão de crédito e cheque especial. O educador financeiro, presidente da Associação Brasileira de Educadores Financeiros (Abefin) e da DSOP Educação Financeira, Reinaldo Domingos, ressaltou que o cheque especial tem uma das mais altas taxas de juros praticadas no mundo.