Alvaro Dias: Lava Jato será um sucesso maior com o fim do foro

O ano de 2016 foi conturbado para a política nacional e não promete ser mais simples em 2017. Com uma possível cassação da chapa Dilma-Temer no Tribunal Superior Eleitoral (TSE), o país poderá enfrentar eleições indiretas para a Presidência da República.

Para o senador paranaense Alvaro Dias (PV-PR), a possibilidade de uma eleição indireta existe e é constitucional, porém não bem aceita pela população e nem trataria soluções para o país.

“Não seria a solução, porque seria apenas a mudança do nome da crise: hoje a crise se chama Temer e passaria a se chamar o nome do novo indicado”, afirmou.

Em entrevista à Gazeta do Povo, o senador ainda afirmou que a configuração do Congresso também mudaria com a saída de Temer, já que outros interesses estariam na pauta. “Já na disputa pela presidência da Câmara essa adesão vai rachar”, comentou.