Paraná prepara segunda etapa da campanha de vacinação contra a aftosa.

A Secretaria da Agricultura e do Abastecimento (Seab) lança na próxima segunda-feira (31) a segunda etapa da campanha de vacinação contra febre aftosa, que vai de 1º a 30 de novembro. O lançamento acontecerá nos municípios de Umuarama e Paranavaí. A expectativa é que sejam vacinados 9,3 milhões de cabeças, entre bovinos e bubalinos de todas as idades. O lançamento da campanha vai contar com a presença do governador Beto Richa, do secretário da Agricultura e do Abastecimento, Norberto Ortigara, e do diretor do Departamento de Fiscalização e Sanidade Agropecuária (Defis), Marco Antonio Teixeira Pinto. A primeira etapa da campanha, realizada em maio, atingiu 97,02% do rebanho paranaense. Desta vez, a Seab pretende vacinar 100% do rebanho para evitar a ameaça da disseminação da doença no Estado. No mês passado, foram registrados focos de febre aftosa no Paraguai, o que representa risco de contágio nos estados brasileiros que fazem fronteira com aquele país – entre eles o Paraná. A Seab está mobilizando os Conselhos Municipais de Sanidade Agropecuária (CSAs) e entidades da iniciativa privada para que ajudem a conscientizar os produtores rurais sobre a necessidade de vacinar todos os animais da propriedade, mesmo naquelas que tenham poucas cabeças. Em casos assim, o produtor pode se unir a um vizinho para compra conjunta de doses da vacina. É importante, que após a compra da vacina, os produtores vão até uma unidade veterinária munidos da nota fiscal para comprovar a vacinação e preencher o comprovante exigido. O produtor deverá declarar todos os animais existentes na propriedade, informação necessária para a atualização dos cadastros e controle sobre a sanidade em todo o Estado. O diretor do Defis alerta que os proprietários que não vacinarem seus animais estarão sujeitos a multa de R$ 96,09 por cabeça. Após o período de vacinação e de comprovação das vacinas, fiscais da secretaria visitarão propriedades que não cumprirem o prazo, vacinando compulsoriamente os animais e aplicando as multas. Fonte: Site; Agência Estadual de Notícias, (26/10/2011).