FENATRACOOP e FETRACOOP no 13° Congresso dos Trabalhadores em Cooperativas no Paraná

Uma verdadeira festa democrática com a participação de mais de seis mil trabalhadores, ficou aprovado por escrutínio secreto a aprovação das negociações coletivas de trabalho para os trabalhadores em cooperativas do Oeste do Paraná, ficou aprovado Piso salarial de R$-925,00 e este piso ficou unificado, e um reajuste de 8% ( oito por cento ), para todos, a aprovação foi por votação secreta e ao final do congresso foi apurado os votos, o que deu 51% de aprovação, 33% para a Greve e 12% para o Dissídio Coletivo de Trabalho e 4% de votos brancos e nulos. Todo o Trabalho foi acompanhado pelo Secretário Geral da CGTB, Carlos Pereira e pelo Presidente da CGTB Paraná, Juvenal Pedro Cim, que aprovaram a lisura da votação e apuração, “este tipo de sindicalismo é muito raro no Brasil de hoje e eu levarei para o Ministro do Trabalho e para a Secretaria de Relações de Trabalho do Ministério do Trabalho o que tenho visto desta entidade sindical cooperativista a Fenatracoop e seus Sindicatos Filiados, um Sindicalismo de organização e luta deste tipo que falta para o Brasil” disse Pereira, já o Senhor Juvenal Pedro Cim, deu os parabéns ao Mauri Viana, Clair Spanhol, Nivair de Castro e Beno Shoroder, pela organização e pela mobilização que consegue reunir mais de seis mil trabalhadores numa demonstração de força clara e de evolução sindical, ‘são companheiros corajosos que enfrenta a pressão patronal e não tem nada a esconder da categoria, prova disto é este congresso”. Para o Presidente da Fenatracoop, “uma organização deste tipo não se consegue de um dia para o outro e sim anos de trabalho, mas eu tive sorte de encontrar companheiro lúcidos e fortes na luta pela implantação de um sindicalismo diferente um sindicalismo de organização e de luta pelos interesses dos donos do sindicato que é os trabalhadores, onde opinam e comparecem para desenhar seu futuro”, agradeceu o empenho dos Colaboradores dos Sindicatos, Sintracoop, Sintrascoop, Sintrascoopa, Sintrascoom, Sintracoosul e Sitracoosp e também de suas Diretorias e extensivos aos Presidentes, que sofrem pressão, recebe ameaças, mas não arredam o pé em favor dos Trabalhadores Cooperativista”.